terça-feira, 12 de maio de 2009

(re) PENSANDO





Desde o dia que te conheci a fundo, percebi que tínhamos alguma ligação inexplicável. Sem poder entendê-la, muito menos contrariá-la, decidi ceder. Ceder a este sentimento, ceder a meus dogmas, ceder às dúvidas... Mas nesta contínua tarefa de ceder, parei para pensar: onde foi que você cedeu?

Não liguei para o que você tinha, nem para o que não tinha. Não quis saber seu cargo, título, nem rótulo. Não vi classe, cor, nem qualquer outra coisa. Vi você, me apaixonei pelo teu ser. Nunca gostei dos vícios, tentei me convencer de que o que eu sentia era mais forte que isso. Então me contive, tentei ser mais espiritualista, tentei abstrair. Juro que ainda é difícil, mas venho cedendo. E eu continuava a me perguntar: onde foi que você cedeu?

Não levei em consideração opiniões alheias. Sempre estive muito convicta que estava apaixonada pelo que você era, não por quem se apresentava. Apesar do estilo de vida diferente do meu, das prioridades que você dava às coisas ao teu redor de forma tão diferente da minha... Estava certa que isto não ia nos afetar. Meus princípios, minhas verdades, minhas crendices e até minha filosofia de vida, sempre destoando da tua. Mas eu tentei acreditar que isso não iria afetar nossa relação, pois se fomos feitos um para o outro, eu poderia aceitar isso também. E em uma contínua tarefa de ceder, parei para pensar: onde foi que você cedeu?

Aí me encontrei longe de mim, errando os mesmos erros do passado e sendo assombrada pelos mesmos fantasmas de antigamente... E aí? Pra onde foi a segurança, a auto-confiança, o futuro, o romantismo, o encantamento e a cumplicidade que nosso amor prometia?

Defina “me fazer feliz”!
Defina “eu te amo”!
Defina “nós”!

Eu me peguei numa árdua tarefa de questionar as coisas que por mim mesma foram impostas. Talvez mais uma projeção que eu fiz, talvez apenas mais arestas a serem aparadas... não sei.

Foi aí que eu pensei que seria bom lembrar de algumas coisas: Lembrar que “eu te amo” não é garantia, muito menos seguro. Lembrar que eu estou solta, e posso ir embora quando achar que devo, e só estou aqui porquê ainda te amo. Lembrar que não vale a pena se esgotar em assuntos que não vão mudar, mas isso não quer dizer que eu vou aceitá-los. Lembrar que “se submeter” não combina comigo. Lembrar que “aturar” não entra no meu vocabulário.

O amor é uma coisa bela, mas é feito de um vidro muito fino. Eu preciso me sentir bem quando estou perto e longe de você, na verdade preciso estar longe, mas te sentindo perto. Preciso ser surpreendida, conquistada e elogiada sempre. Continuamente. Pois o amor é vivo. Nasce, mas precisa crescer para não morrer. Se você não cultiva, ele morre. O amor tem sede, dá trabalho, precisa de atenção... Mas são tão doces os frutos que ele dá, que vale a pena! Vale a pena ceder, vale a pena mudar. Contanto que os dois cedam, os dois mudem.

Pois portanto, serei eu tolerante, mas só até onde eu vir que essa tolerância está sendo mútua. No final das contas, só queria lembrar a mim mesma que sempre é tempo de repensar. E assim eu vou seguir, sempre me questionando.
Gente, as postagens estão poucas, eu sei... Mas é que a fase de falta de inspiração tá braba!! kkkk

5 comentários:

Roderick disse...

Não sabes onde cedi? Bem!!!! É complicado estar aqui a explicar, não é?
;-)

Iêda disse...

É Dreycka,
As vezes é preciso repensar.

Afinal a vida é uma caixinha de surpresas !

Beijos

Guria disse...

Na verdade ando buscando muita espiritualidade por alguns motivos parecidos... como as coisas parecem mais dificeis quando colocamos o mundo antes da nossa espiritualidade... preciso canalizar mais energias pro meu ser... muitas vezes movo o mundo pelos outros e esqueço de mim... natural... somos assim, sou assim me doo e nunca recebo nada... nunca nada

Beijos querida.
Saudades, estou indo la conhecer o No divã. =)

''[G]ü[R]ÿ disse...

haushduhsa.. BARRACOO NO BLOG!!1 eita blog bão sô... por iso adoro vir aki.. issso mesmo... taca na cara!! ele n cedeu!
bjoo, dreycka.
aloha

Taty Maria disse...

adorei o texto, repensar eh muito bom mesmo, às vezes as coisas vão acontecendo, mas a gente nem se questiona se tah bom ou naum!! bjus