terça-feira, 28 de julho de 2009

:: Seu Céu ::




Ela olhara mais uma porção de vezes a cor do céu naquele dia para poder descrevê-la tom por tom, em seu caderninho de emoções meteorológicas. Hoje, no entanto, ela ficou em dúvida: estaria o céu ensopado de anil e sufocado de algodão, ou um mar de espuma branca com um azul borrado esporádico? Ela demorou longos minutos nesse dilema. Resolveu por anotar a primeira opção. Era a mais realista, uma vez que algodão era o que mais parecia com aquelas nuvens abstratas cor de brilhante. Fechou o caderninho e se debruçou nele olhando para a cidade embaixo do seu céu. Brilho, cinza e poeira, pensou ela. E o barulho, como pudera se esquecer! Muito barulho vinha daquela tela pitoresca feita pela globalização. Seu céu olhava fixamente para a pintura em baixo de si. Ela voltou os olhos para o céu. Ele era mais brilhante, mais colorido e muito mais silencioso. Ela continuou a descrever tudo o que via.
:) Estou meio ausente, admito!

4 comentários:

*Lusinha* disse...

Estaria o céu com um tom diferente, por que a pessoa se permitiu olhá-lo de outro ângulo?
Bjitos!

João Eduardo disse...

Descobri por acaso seu Blog.
É formidável, além de muito fresco é leve.
Fiquei fã !

João EDuardo
Portugal

Taty Maria disse...

texto muito bom!!Céu lindo!!!

Daniel Oliveira disse...

E ai, tudo bem?
Quanto tempo.
Adorei o texto, se vc estiver ausente pelo menos está em algum lugar pensando coisas para maravilhosas, que vai contar pra gente é claro, né?

Bjuss