sábado, 29 de novembro de 2008

INTERMINÁVEIS


Turbilhão de bolhas de sabão
Feitas com o sal das minhas lágrimas

Sonhos que se perdaram
Nas incapacidades estampadas em minha retina


Poesias mal sentidas
Dores mal recitadas

Palavras ditas no universo
Beleza rara inspirada na vida
Cabelos, bocas e verdades
Cheiros, calores e saliva

Só falta você me dizer que ama
Só falta você me dizer que sente falta

Pontos de interrogação
Reticiências não terminadas

Papel amassado no fundo da bolsa
Promessas de dizer, de contar
O medo de se expor

Admitir que passou
Que não deu
Que acabou

Doeu cada pedaço
Desmanchar os sonhos que demoraram tanto para se tornarem...
Mereceu cada momento pensado
Valeu a pena sofrer cada lágrima desperdiçada por você

Por que apesar da realidade ser outra
Apesar do amor não existir
Apesar de não podermos
Valeu a pena te ter por perto durante...

...intermináveis...


4 comentários:

Pavón disse...

Me senti como uma criança que ia estourando suas bolas de sabão e ia ficando triste, pq cada uma revelava um pedaço da sua tristeza recitada através do seu poema... saber que valeu a pena nos conforta, mas tbm guarda o perigo de cultivarmos algo bom dentro de nós como único, como bom, como interminável.

Beijos

Gilvan disse...

"Mereceu cada momento pensado" "Valeu a pena te ter por perto durante..." "...intermináveis..."

magestral!! .. se não fosse tão ruim de imaginar, daria o prêmio Máximo!!!

alohaaa

*Lusinha* disse...

Pois eu prefiro a bravidade de um momento bom do que não vivê-lo só por saber que ele acabaria.
Obrigada pelo carinho. Pretendo não sumir de vez, vejamos se consigo. ;)
Bjitos!

papaigay disse...

Que bom que uma foto que eu tirei te inspirou dessa forma...