segunda-feira, 8 de junho de 2009

A falta que ela me faz



Se a falta que você me faz fosse proporcional à alegria de estar com você, eu voltaria.
Se a saudade que sinto quando estou longe de ti fosse proporcional à confiança que você me passa, eu voltaria.
Se o conforto dos teus braços fosse proporcional às verdades ditas por tua boca, eu nunca teria ido embora.


É impressionante o poder que o tempo tem de sarar feridas que nunca imaginei serem cicatrizadas. O tic-tac do relógio dá esperanças suficientes para eu passar cada dia, viver cada dia e esquecer o passado. Na verdade eu nem penso tanto assim. Só às vezes. São poucas e malvadas as nostalgias. Matam na unha, no solado do pé, com baygon ou com mais sei lá o quê. Dói, machuca, mas sara, cura, me faz ficar melhor a cada dia. Isso é reconfortante.


"Me falta un poco el aire que soplaba

"Me falta um pouco o ar que soprava
O simplemente tu espalda blanca...
Ou simplesmente suas costas brancas...
Y ese reloj ya no andaba
E esse relógio já não andava,
De mañana a tarde siempre se paraba
De manhã, à tarde, sempre parava
Como yo el te miraba"
Como eu, ele te olhava"
No Me Lo Puedo Explicar - Tiziano Ferro



"A Falta Que Ela Me Faz" - Título de um livro do Fernando Sabino. Bem que esse título é de grande valia para esse meu texto.

3 comentários:

Priscila Morais disse...

OTimos textos amiiga^^
seguindoO akii

Anônimo disse...

Mas que bom Dreycka, reviver e recomeçar é sempre mto bom. Sarar as feridas, melhor ainda.

Que tudo continue em progressão.

Beijos

Anônimo disse...

ae dreycka.. td bem? gostei do post.. mto legal, imagem legal.. sempre sensacional ne?
bjs
alohaa