quinta-feira, 25 de junho de 2009

permissividades



A luz fraca da lua torna prata nossa silhueta. Mal nos vemos. Apenas nos sentimos. A língua quente, úmida, percorre meu pescoço, meu colo. As mãos firmes deslisam em cada curva do meu corpo, arrepiando-o a cada centímetro. A boca entre aberta, nunca fechada. Ora nos meus lábios, ora na minha pele. Meus seios cabem nas tuas mãos, perfeitamente. Ora molhados pela tua saliva quente, ora eriçados de tanto prazer. Nos meus ouvidos sussurros quentes, molhados e sem sentido. Nos meus olhos teu reflexo.
:P

3 comentários:

Drunken Alina disse...

Ô delícia!

Engraçado que acabei de descrever um momento desses também!

Beijos!!!

Conversa Inútil de Roderick disse...

hmmmmm!!!!!!!!!

''[G]ü[R]ÿ disse...

ta ficando 'quente' ese blog... kkk
bjs. aloha. saudades