domingo, 18 de outubro de 2009

Bottle Sea




Bottle Sea: uma vez aberta, trás pra realidade uma história de amor pra cada mar percorrido. Eis o meu mar. Eis minha história. Ou parte dela.

Nas últimas semanas sua falta foi mortal. A saudade se fez ainda mais presente pra mim. É terrível assistir os dias passarem assim. Tão cruciais, tão enfadonhos, tão miseráveis.

Você não é a solução para nenhum problema meu. Nós nunca funcionaríamos juntos. Difícil é tentar convencer meu subconsciente disso. A cada toque, a cada imagem, a cada rosto na multidão, a cada brisa no rosto, a cada tom alaranjado do sol... Você se faz cruelmente presente. Cada palavra, cada risinho malicioso, cada expressão, cada gargalhada, cada olhar... Seus olhos. Profundos mas tão nervosamente vagos.

É incrível esse poder de capturar cada momento vivido por nós. Cada detalhe. O cheiro, o sabor, as intenções, os medos, a insegurança e até a precipitação. Cada olhar desconcertante que você me dava. Cada vez que você se desconectava da realidade e parecia estar num tempo distante. Distante demais de mim. Cada vez que você se transformava. Nesse seu método bipolar de querer esconder seus sentimentos e desejos.

Sempre esteve muito claro o seu medo quanto ao risco. O quanto você temia se entregar e o quanto temia perder o controle. Ah, o controle. Você sempre prezou por ter as rédeas muito bem alinhadas a cada situação. Só não imaginava que do meu lado poderia se sentir assim, tão vulnerável. E eu entendo. E respeito. Só meu íntimo que não.

Já aceitei que te perdi. Na verdade, que nunca te tive nem terei. Mas quem poderá convencer o meu corpo disso? Os meus sonhos? A minha pele? E por mais clichê que isso soe, quem convencerá meu coração? De que você nunca poderá alimentar minha fome de prazer da maneira que só você sabe acende-la. De que você nunca poderá me enlaçar em teus braços e só sentir a respiração dos dois corpos exaustos. No one knows. Nem você e seu ego enorme. Nem eu e minha fragilidade enrustida. Nem você com seus discursos ensaiados, nem eu e minhas palavras exageradamente emotivas.

E pra onde levarei esta caixa com nossas recordações? Embrulhei delicadamente cada momento. Cada sentimento. Pacotes separados. Especialmente lindos entre si. Quero te tirar de mim. E tudo o que você plantou aqui dentro. E pra onde levarei tudo isso que construímos? Que lugar estaria longe do meu alcance? Longe do meu coração e livre dos meus olhos atentos? Queimá-los-ia se fosse possível. Numa fogueira enorme e libertadora. Me faria voltar a viver levemente como antes de você aparecer.

Aparecer... Você apareceu de forma tão imprevisível... Me acordando de um sono profundo, que eu me encontrava a sabe Deus quanto tempo. Perdida em meus devaneios abstratos e dolorosos. Você veio com toda a intensidade e me fez sentir o gosto de cada milésimo de segundo ao teu lado. A instabilidade começou aí. Sabe-se lá se um dia acharei o caminho de casa. Só preciso encontrar a estação certa para te deixar lá e seguir viagem. Se eu não estivesse tão perdida, talvez não demorasse tanto assim. Espero que um dia você indique o caminho. E enfim, me deixe. Pois desfazer-me de você me parece cada vez mais impossível.

Selfish idiot. You’ll always be mine. Não importa quão longe você esteja. Sempre estará aqui. Sempre.


Aldrêycka Albuquerque

14 comentários:

Dai disse...

Dê, agora eu fiquei assustada..
Como pode voce escrever o que EU sinto??
Pasmei nesse texto..tudo que está aqui dentro, está na tela a minha frente..

Você é incrivel..seus textos idem.
Gostei muito desse, em especial.

Beijinhos...tenha uma semana abençoada..

Luciana disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Luciana disse...

Dê, agora eu fiquei assustada..
Como pode voce escrever o que EU sinto??(2)

Lindo,perfeito!
Semana passada escrevi sobre isso(claro,não do mesmo jeito que vc.Gosto muito do jeito que escreve)e me doeu tanto,e me faz tã obem escrever.
E sabe o que eu resolvi fazer?
Matar esse amor.
Amor esse,que as vezes(ainda tenho dúvidas,é a minha fé idiota que teima em ficar por aqui)acho que nunca deveria ter nascido.
Matei e estou aqui,com a pá na mão tentando enterrar.
Já arrumei até a lápide.
Dei data e tudo.
Mais ele é persistente e teima em ficar por aqui.Rindo quando eu choro.
E sabe o que eu disse pra ele?
Some.Eu não te quero mais por perto.Isso dói.
Ando tentando me esquecer da dor.Tenho estado com quem eu amo(e ele esta fora disso),tenho me divertido.
E isso me fez um bem tão grande.

O que acha?

Fique bem.

Iêda disse...

Dê, agora eu fiquei assustada..
Como pode voce escrever o que EU senti(a)??(3)

Dreycka, é lindo o texto, como eu não poderia gostar uma uma expressão tão clara de amor como essa.

Eu só não gosto do que te faz sofrer, vc sabe disso, mas quando expressa os seus sentimentos eu acho muito bom.

Parabéns adorei o texto, muito bem escrito e expressado.
Muitas coisas também já vivi e sei como é.
Beijos
PS: Só pra contrariar;
EU ADOREI!!!!

Drêycka disse...

Tu sabe que eu te amo, né Iedinha? Agradeço muito a Deus pela tua amizade. Bjs!

maria fernanda; disse...

No fim a gente só se perde de quem nunca nos pertenceu de verdade...

Srtª Elis° disse...

hahah
"De que você nunca poderá alimentar minha fome de prazer da maneira que só você sabe acende-la....."

vc deveria escrever livros romances.... ja pensou..... srsrs
esse seus textos me levam lá no céu.....


olhe flor estou querendo lançar algo pra todos nos amigos da blogosfera me ajude ai me mande ideias.. vamos fazer uam parceria.....bora afzer tipo um amigo oculto bem legal e divertido.... srs! xeroo flor!

Drks disse...

Voce escreve muito bem,sabe expressar seus sentimentos.
Quanto a esquecer alguem,nem me fale, é dificl,doe,machuca,é um luto eterno...
Mas te garanto,jamais morreremos por amar alguem.

bju

GURY disse...

ae dreycka... qnto temppppooo q eu n venho akie.. tá, confesso, eu n li! soh quis mesmo comentar! to na correria! meu blog tá abandonado, tadinho! to de mal com o template dele! n tenhu tempo pra trocar!aff
bjos, sdd!
conta as novis!
alohaa

Drks disse...

Logo maisvc tera essa sensacao maravilhosa denovo.
Obrigada vc pela visita flor!

=)

Gabi M. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Drunken Alina disse...

Que triste...


Um beijão!

~*Rebeca e Jota Cê *~ disse...

Adorei!

Camilla disse...

Nossa! Fazia tempo que não te lia. Hoje apareci e dei de cara com um texto bastante expressivo e bonito.
Pena que não traz um lado feliz de um relacionamento. A vida nos traz e tira as pessoas de nós. Talvez não compreendamos o pq, principalmente quando a gente ama. Mas, se esse for seu amor, com certeza ele voltará. Tudo que é nosso não se vai para sempre.

Beijos!