domingo, 6 de fevereiro de 2011

Sobre músicas tristes...


Me tornei bastante conformada com a vida. E isso é bem triste.
Se antes eu chorava por cada pôr-do-sol que eu perdia de ver, hoje eu me conformo com a certeza de que sempre existirá um novo entardecer no dia seguinte.
Se antes eu me preocupava em superestimar cada um dos meus amores, hoje me conformo em virar a página e procurar novos rostos e novos olhares.
Se antes eu chorava com qualquer música.... Hoje procuro escutar alguma música [qualquer uma!!] que me faça chorar.
Aldrêycka Albuquerque




"A tristeza das canções é um sofrimento seguro. Controlado. Quase uma diversão. Quando ouvimos uma música triste, ficamos imaginando que a dor real seja como aquela. Simplesmente nos deixamos dilacerar por ela."
Confie em Mim - Harlan Coben

3 comentários:

Flá Costa * disse...

Eu ia falar de música hoje, acredita? De uma dessas que entra no coração, uma chamada Say it to me now. Fica para a próxima!

Você escreveu de uma maneira maravilhosa o quanto as músicas são sensíveis à nossa alma!

Beijinhos

Iza Costa disse...

Acredito que a questão não é somente a música...mas nosso estado emocional, quando a ouvimos.
Isso me lembra que gritávamos, quando tocava "um edifício no meio do mundo", lembra?
Não surte mais o mesmo efeito em mim...
A maneira como encarava o mundo, e tudo o que sentia, mudou.
Bjos

Drêycka disse...

Pois é Iza... O bom é que um dia muda. E a gente passa a "gritar" quando escuta outras músicas, outras melodias, maledizendo outros desamores. É o ciclo natural da vida.