quinta-feira, 17 de julho de 2008

:: Carta


A Carta Que Eu Não Te Escrevi


Já peguei caneta e papel umas setenta e sete vezes.

Já digitei lindas palavras no meu computador.
Em todas as vezes apaguei, deletei, desisti.

Com medo que todas as máscaras e verdades que encobres, caiam aos teus pés.
Temendo aceitar a verdade, a realidade.
Te ver assim, tão humano, tão normal... assusta.
Depois de tantas conjecturas por mim criadas sobre você.
Aceitar a realidade agora é no mínimo difícil.

Quem sabe um dia, ainda assim, eu mude de idéia, volte a sonhar.
Quem sabe um dia, talvez, voltes a ser platônico e encantador.
Desculpe, mas não fui eu que te escolhi, o destino que o fez.
E agora estamos assim, entalados com palavras mal ditas.
Até eu vomitar toda essa paixão doentia, continuaremos assim, febris.




Segue vídeo que eu fiz da música "CARTA" da banda portuguesa TORANJA.


2 comentários:

''[G]ü[R]ÿ disse...

oi dreycka.... entãoo.. q post é este?
vomitar.. não gosto dessa palavra..
mas gostei dos versos.. parece q enfim vc conseguiu fisca-lo? ou não? o amor platonico se foi e ficou a realidade, os defeitos?
bem... foi o q entendi..
bjjj

vai no amostra.. e no MvsM tb...

bjj

ALohaaaaaaaaa

Vinícius Aguiar disse...

Lindo desabafo... poético e recheado de sentimentalismo!! Adorei... resta saber se essas são palavras de um capítulo real!!
Beijos!