quinta-feira, 11 de setembro de 2008

mais devaneios...

Esta história começa aqui.



E continua assim...




As bocas se separam como dois lados de um velcro novo.
Ela olha atentamente para as expressões do rosto dele.
Com as bochechas coradas, ela por um segundo se arrepende...
“E agora?” Pensa ela abaixando a cabeça.

- Ei linda, deixa eu te falar: amigos também se desejam, não fique assim.

Silêncio. Ela está revoltada com o que ele disse.

- Não era o que você queria?! Pois eu pensei que...

- Cala a boca, garoto! Você agora está me irritando. Quem te beijou aqui fui eu, então não venha com esse discurso de quem fez um favor para mim.

- Nossa, calma, o que houve com você? Só um beijo pra te deixar assim?

- É, pra você ver como são as coisas. Ás vezes desejamos algo por tanto tempo que acabamos nos esquecemos do que realmente se trata, das conseqüências que trás e assim por diante.

- Já está arrependida?! Nossa, você definitivamente é inconstante, viu?

- Sim, sou inconstante mesmo. Mas não é que eu tenha me arrependido, sabe? Eu só estou me lamentando... tudo poderia ser diferente.


Ele coloca aquela cara de confuso que ela tanto acha lindo.


- Ta, eu explico. Eu aqui realizei um grande desejo: te beijar. Coisa que há tempos venho pensando, imaginando... Daí com o beijo, fui às alturas e voltei. Pensei que existia algo mais entre céu e terra, algo sobre-real. Voltei atordoada, sem saber se conseguirei ficar sem isso pro resto da vida. Sabe como é, tudo é mais fácil quando a gente não experimenta. E seu beijo é uma droga sintética, da pior espécie que possa existir, me pegou de jeito e já me deixou viciada.

- Até aí não vejo o motivo do seu estresse. - Meio que se gaba, o rapaz.

- Calma, senhor insensível... Tudo estaria dentro dos conformes se depois do beijo eu escutasse uma palavra que me desse a esperança de que eu poderia ter daquilo muitas e muitas vezes. Você veio com uma proposta de amizade, garoto! Eu quero muito mais que isso.


Ele obviamente não sabia o que dizer.

- É nessas horas o silêncio é a melhor escolha mesmo. Tchau.

- Espera aí, me responde uma coisa!

- Você tem dez segundos.

- Você acredita em nós dois? Acha que daríamos certo?

- Por que não?!

- Preciso de respostas, não de mais perguntas!!

- Sim, garoto. Eu acho que se formos embora agora, estaremos desperdiçando uma oportunidade que a vida nos deu de sermos felizes nem que seja por um período limitado. Ou se tivermos sorte, seremos afortunados com um amor pra toda vida, quem sabe... Só arriscando pra saber.


Medo. É o que corrói a coragem e delimita a linha tênue entre ser o protagonista ou figurante da sua própria vida.



Continua...
Ou não... vai saber, né?!

7 comentários:

''[G]ü[R]ÿ disse...

continuaaaaa!!!.. adoreiii... esses seus textos, dreycka... mto bons!!!... vc deveria mesmo escrever mais histórias... e obrigadinho por me visitaire!!
enfim, acho q vou reduzir os assuntos que tenho para só um por dia! senão ngm comenta.. kkkk

alohaaa..
bj
motivação dreycka!

alohaaa

Mary West disse...

Minha dica é: FOGEEEEEEE!!

/me anda sem sentimentos ultimamente.

*Lusinha* disse...

Precisamos arriscar. Só assim saberemos se dará certo ou não.
Bjitos!

Tatah Marley's Confissões disse...

CONTINUUUUUUUA!
mal entro aqui e já te peço encarecidamente que contnue!
^^

Bruno disse...

Por isso que eu tento ser descarado e o mais sem medo possível. Mas tem horas que não rola, néah ?

Caio Paranhos disse...

Lindo.

Teresa disse...

bein, depois dessa DIRETA... se ele naum quiser..... sei nem o q dizer hehehe

=*