quarta-feira, 10 de setembro de 2008

You driving myself crazy!


Se eu pudesse fazer mágica, brincaria com a vida de nós dois. Em um toque te desamarrava do teu passado, em um outro te grudava em mim. Como um passe de mágica nossas vidas teriam sentido juntas...

Se eu pudesse te mostrar o invisível, te mostraria minha alegria ao te ver, meu êxtase em te assistir falar, minha euforia em ter você por perto. Como quem sopra glíter ao vento, as coisas começam a ter sentido, pegam forma, ilustram a verdade. Não é porque você não enxerga que não exista! O amor, a fé, a tolerância e a esperança... Todas essas estão bem aí, esperando você pegar carona.

Não consigo te ver sem te desejar. Não consigo querer escutar nada mais que tua voz. Escutar palavras que imagino saindo docemente da tua boca. Eu não consigo separar, não consigo desassociar nós dois. Não consigo esquecer nossa pequena história que é simples, mas é só nossa, isso ninguém nos tira!

Quanto mais conversamos mais você me encanta, mas eu sofro, mas eu imagino possibilidades mil. Sonhadora? Que seja. Mas eu aposto que você também precisa de um pouco de sonho pra sonhar, e já que você não mais consegue, eu posso te emprestar os meus.

Desejo. Juro que não é só isso. Não pode ser. Tem sentimento sim, quando você não está meu coração aperta, te sinto mesmo na tua ausência, de tão real que é a saudade. Fico aqui a escrever coisas sem sentido, a esmo. Pra que? Para daqui a alguns meses eu te perder por completo? Depois sair lamentando o quão bom teria sido se nós tivéssemos dado uma chance para nós dois... Quem sabe!
Dia desses eu ainda te empurro na parede e te acordo pra vida. Fala! Fala o que você realmente sente! Me diz que esse mar de superficialidade é só fachada, e que você só está com medo. Assim eu fico com você, sentiremos medo juntos, não mais estaremos sós.

Uma coisa que eu nunca poderei me arrepender no final da minha vida, é não ter dado oportunidade aos outros. Oportunidade de me surpreenderem, de me machucarem... Todos sempre tiveram seus momentos comigo. O que fizeram com a oportunidade que eu dei é onde mora o dilema.

6 comentários:

Bruno disse...

Devo me sentir arrependido? Porque, tipassim. Não dou tanta oportunidade quanto deveria.

=/

Maria Fernanda disse...

Menina! Teus textos estão cada vez melhores!

Suspirei.

Camilla disse...

Seu texto traduz exatamente o que eu queria dizer. Dizer não, gritar!

O trecho que mais corresponde fielmente o que estou sentindo é esse: "Sonhadora? Que seja. Mas eu aposto que você também precisa de um pouco de sonho pra sonhar, e já que você não mais consegue, eu posso te emprestar os meus."

Uma dica: Lute pelo que deseja, mesmo que te chamem de sonhadora ou de qualquer coisa que seja. Siga seu coração. Algumas vezes não segui e não me dei muito bem.

Beijos...
=)

Anna disse...

Me apaixonei por esse seu texto, menina, você escreve bem e sabe traduizr sentimentos de uma ótima maneira. Vou mandá-lo para uma amiga que passa por uma situação igualzinha a do eu-lírico (se não for sua) ;D
Parabéns, beijos!

Lily disse...

olha, vc transliterou tudo o q está se passando na minha cabeça em relação ao meu cafa-karma neste momento! tu-do! do início ao fim! rs

bjkssss

Mary West disse...

Oh tão lindo e confuso ao mesmo tempo, por essas e outras que vou voltar a época de seca. :D