domingo, 5 de outubro de 2008

J'ai tellement de secrets



Garrafa jogada ao mar...



Filho, me fala uma coisa...


Se eu pudesse te perguntar uma coisa extremamente importante. Você responderia sinceramente ou simplesmente responderia da forma que 'deve' ser respondida?


Eu só queria saber se eu devo continuar. É que eu estou cansada, e se você pudesse encurtar a decepção eu agradeceria. É só tu me dizer da forma mais doce e sincera do mundo que eu vá embora sem olhar pra trás 'porque não dá'. Nem precisa explicar, pois sinceramente eu não sei se seria possível. Mas só me diz se devo ou não continuar...


Pensa direitinho, repensa tudo o que eu já te falei, te escrevi, te cantei e até te mostrei... cada palavra, cada sorriso, cada música e cada olhar. Eu sempre escondi neles inúmeros segredos, mas eram tesouros de fácil acesso, propositalmente, só pra você achar. Mas talvez você tenha achado e simplesmente enterrou de volta.


Só me diz, devo continuar a te querer? Não me dê explicações, estas eu tenho demais. Se eu fosse agir pela razão não precisaria estar te perguntando isso, teria ido embora e só. Mas algo nos teus olhos não deixa eu fazer isso, por essa razão quero saber de você: Eu vi errado? Eu entendi errado? Eu senti errado? Tá tudo errado? Sim, eu sei que está... Mas... Vai ser assim mesmo? Vai acabar assim?


Eu estou cansada de esperar. De me irritar com isso tudo. Você querendo ser uma pessoa inatingível que eu sei que você não é. Eu te vejo, vejo o você de lá de dentro da alma. E vejo que você tem alma sim, e ainda tem um pouco de coração... Só está preso... Ah... se solta... Também sei que você está longe. Mas isso não importa, pois desde a primeira vez que eu te vi eu embarquei num trem que me leva até você... Mas a estação nunca chega, quando eu penso que estou perto, você se distancia. E andar mas não chegar, é pior do que parar.


Tantas palavras escritas e jogadas ao mar... Como se hovesse esperança de um dia ela aportar na tua praia, ou apenas se perder mundo a fora. Nem eu sei... Eu não tenho certezas, como você... Só tenho dúvidas mil.


Eu sei, eu sei de tudo o que você provavelmente deve está pensando. Mas por favor, pensa no meu lado. Se põe no meu lugar. Se um dia você encontrasse uma pessoa que simplesmente te encanta, o que você faria? Arriscaria ou passaria de volta. A vida não é um jogo de tabuleiro... A emoção, a precipitação, o erro é o que nos diferencia das máquinas. Agir pela emoção não é fraqueza, é demonstrar que você é humano.


Mas se você me disser que não está disposto a se arriscar, eu vou aceitar sua opinião... Mas não tente me convencer... Seus olhos não me deixam acreditar nisso. Mas vou seguir em frente e o tempo vai me fazer esquecer de tudo................................. ou não... :P






...em que praia ela vai chegar?



Vai dizer
Que o nosso amor perdeu o prumo,
Desaguou num rio seco
E morreu
Vai tentar fazer comparações com outras relações
Do teu passado, árduo fardo que carrego eu
Vai buscar me convencer que nada
Pode alterar o rumo dessa estrada
Vai alegar que já fizemos tudo, tudo já foi dito e
Revisto niente muda o fato, acabou
Pega as suas coisas, desarruma as minhas
Dá um jeito nos cabelos, lava o rosto, num sinal de adeus
Mas nas últimas palavras beija a minha boca
Desesperada agarro sua roupa
Meu amor não vai me convencer que já não me quer
Olha nos meus olhos sou tua mulher
Vem me faz sentir como ninguém mais pôde conseguir
Teu lugar é aqui
SINAL DE ADEUS - Isabella Taviani




(J'ai tellement de secrets = Eu tenho vários segredos)

4 comentários:

Camilla disse...

Oba, primeira a comentar!

Quantas palavras ditas se perdem nas águas da vida, ficam a deriva, mas um dia voltam e nos atingem.
"A vida vem em ondas, como o mar..."

Mary West disse...

Acho que sim, otempo pode levar e trazer coisas velhas e novas, basta selecionarmos com carinho.

Fabi disse...

Navegar é preciso, viver, não é preciso, como diria Fernando Pessoa...
As palavras navegam e nós vamos vivendo...
Beijas!

Marie Curie disse...

uau, gostei daqui! Nossa, tão duro saber quando desistir, quando voltar, quando avançar,mas é verdade,em geral nos olhos dão pra ver o que devemos fazer. Difícil, ms possível.
Beijos!